Ela se foi antes mesmo de ter chegado.

Demografar.  (via caligrafaveis)

Engole teu coração e se ama por dentro.

Caio Fernando Abreu. (via pensamentos-antigos)

Não coloque a mão no fogo por quem jogaria álcool em cima de você.

Ja dizia minha avó: “Vivendo e aprendendo. Errando e se fudendo”.

Bárbara Guerrero. (via recontador)

Hoje é um dia comum, como qualquer outro em que não tenho o que fazer. Quer dizer, na verdade eu tenho, mas ainda não me acostumei com isso de ter que fazer algo. “Ter” é um verbo que não consigo conjugar sem me sentir um tolo, para ser sincero. Algo me diz que essas três letras unidas não vão muito com a minha cara e gostam de me fazer de imbecil. Essa ideia de possuir algo é meio fantasioso para mim, e não estou me referindo a objetos de valor ou qualquer tipo de bem material que faz milhões de pessoas levantarem com a cara fechada toda manhã para mais um dia de trabalho, a fim de obtê-los. Me refiro a questões desconhecidas, no sentido literal da palavra. Sei que é estranho pensar nisso, mas não precisa quebrar a cabeça e ficar lendo e relendo para tentar entender o que eu quero dizer. É um mistério para mim também. Eu vivo atrás de algo que eu não tenho, mas não sei exatamente o que é. Se isso faz sentido ou não, não tem importância. E como todo mundo sabe, nunca me dei bem com explicações. Cheguei até aqui sem conseguir explicar a ninguém o quanto eu me entristeço por não sentir vontade de viver. E, sinceramente, também não adiantaria muito explicar. As pessoas parecem ter um botão de “foda-se” no bolso e fingem não ter consciência disso, mas querem usá-lo sempre que alguém conta o que quer contar sobre a vida pessoal. Os desgraçados me chamariam de dramático, louco ou qualquer coisa do tipo se ouvissem metade das minhas dores, então que se danem. Eu vou completar mais um ano de vida em breve, e sendo um quase adulto, torço para que eu consiga saber lidar sozinho com essa coisa que não sei o que é, mas que me afunda cada vez mais para o abismo existencial. Espero não morrer com esse fardo.

Junior Lima.   (via extinta)

Valorizam demais o que é perfeito. Perfeição é um tédio.

Lola e o Garoto da Casa ao Lado. (via starfyx)

- Eu ainda sou a mesma pessoa.
- Que bom para você! Eu não sou.

Supernatural.   (via alentador)

Não foram poucas as vezes que me senti um “tanto faz” na vida das pessoas.

Daniella Oliveira. (via capacitaria)

Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.

Arnaldo Jabor.  (via vivo-reblogando)

Pontos são o fim ou o começo?

nordestiana.  (via conversos)
hefck